Depressão, tristeza e desânimo: 

é possível não senti-los?

Psicóloga Ms. Yone Xavier Felipe da Fonseca

clinica@conhecereagir.com.br

 

       A depressão e o desânimo são os grandes “vilões” da nossa época. Quando estamos deprimidos tudo parece perder sua cor, seu brilho. Nosso desejo pelas coisas que antes nos deixavam radiante diminui bruscamente. Nossa energia vai minando, minando.... e a apatia e a indiferença se instalando. 

 

        Na nossa sociedade, vivemos num grande paradoxo, por um lado somos cobrados, a não desanimar, a sempre pensar positivo, a não nos desiludirmos, a “não desistir nunca”, como se isso fosse possível nos dias de hoje. 

 

        Não precisamos nem elencar os fatos desencadeantes de nosso desânimo, para a grande maioria dos brasileiros temos problemas como: crise financeira, a falta de perspectivas, a corrupção, a crise política, a falta de educação, a baixa qualidade da saúde, e a violência.  Tudo isso aumenta e muito a intensidade da depressão e do estresse. 

 

        Mas por outro lado somos o país das grandes belezas naturais, da simpatia, do povo hospitaleiro, das grandes conquistas científicas (que são pouco divulgadas). 

 

        Porém chega de falar do coletivo, a depressão quando “ataca” uma pessoa, deixa nela um grande vazio, uma grande sensação de impotência e de incapacidade. 

 

        Incapacidade deveria ser a palavra chave da depressão e não o desânimo. 

 

       Acredito que o desânimo ocorre por nos sentimos incapazes de fazer algo, de mudar a nossa vida, de encontrarmos uma saída, de sermos felizes. 

 

       Por hora não entrarei, na discussão sobre felicidade, caberiam outras reflexões a respeito. Mas sucintamente, felicidade envolve o ser ou o estar. Será que nós a cada dia somos felizes ou estamos felizes diante de circunstâncias vividas? Responda afirmativamente e categoricamente se puder. 

 

        Beck o “pai” do cognitivismo, postulou que a depressão envolve a tríade cognitiva: a visão negativa de si mesmo, do mundo e do futuro. O negativismo está sempre presente no discurso de alguém que está deprimido.        

 

        É importante ressaltar que o sentimento de incapacidade pode ser transformado. Os nossos limites são impostos por nós mesmos.       

 

       Não existe uma causa única para a depressão, ela pode ser desencadeada por fatores externos, eventos estressores (perdas financeiras, perdas de pessoas queridas, fatalidades...etc) e pelos internos (predisposição psicológica, um desequilíbrio físico, “falta de serotonina”). 

 

       Senão existe “causa única”, será que existe “cura única” para a depressão?   

 

       Como profissional de saúde acredito que para a depressão – doença existe tratamento e melhora dos sintomas, a partir da compreensão de suas causas e do desenvolvimento de habilidades para lidar com os sintomas. Esse tratamento pode ser realizado por meio de psicoterapia, tratamento farmacológico, ou ambos. A grosso modo uma pessoa deve procurar ajuda de um psicólogo e/ou psiquiatra quando os sintomas da depressão estiverem interferindo na realização de suas atividades diárias, no trabalho e nos relacionamentos interpessoais. 

 

       As indústrias farmacológicas tiveram grandes avanços na descoberta de medicamentos cada vez mais eficazes, mas quem sofre de depressão deve saber que a melhora não é imediata, não existe um “doril” para depressão, não existe um remédio que faça sua dor emocional sumir em fração de minutos. 

 

        Uma outra coisa complicada é que algumas pessoas, vêem o uso de medicamentos, como um “alívio mágico e rápido”, colocam nos comprimidos, todas as suas expectativas, como se apenas o medicamento pudesse aliviar seu sofrimento. Dependendo do tipo de depressão é conhecido que os medicamentos apenas aliviam os sintomas e não eliminam as causas dos problemas.

 

        Se você está sentindo um dos sintomas da depressão ou todos (falta de interesse ou diminuição de prazer na realização de suas atividades, humor deprimido ou irritável, insônia ou hipersônia, agitação, fadiga, sentimentos de culpa, diminuição da concentração, da libido, pensamentos associados a morte e ideações suicidas) procure ajuda, estar deprimido não é “frescura”, ou coisa de “gente fraca”, não sofra sozinho. Depressão é algo que pode acontecer com qualquer pessoa. 

 

     Gostaria de deixar alguns trechos de letras de músicas que descrevem o “estar deprimido e a solidão:

 

"ora quem é que não sabe o que é se sentir sozinho 

 

mais sozinho que um elevador vazio achando a vida tão chata 

 

achando a vida mais chata 

 

do que um cantor de soul"

 

Blues do elevador - Zeca Baleiro - Álbum - Líricas 

 

 

        Sobre a depressão, sobre o que realmente ela significa, ou seja, o estar voltado para o passado, para as perdas, para incapacidade de criar um futuro diferente. 

 

"É mais fácil cultuar os mortos que os vivos,

 

mais fácil viver de sombras que de sóis,

 

é mais fácil mimeografar o passado,

 

que imprimir o futuro"

 

Minha Casa -Zeca Baleiro - Álbum - Líricas 

        

 

        Para finalizar, acredito que todos passaremos por momentos de desânimo e depressão, que são respostas naturais a determinados momentos de nossas vidas. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, a tristeza faz parte da vida, e chorar as nossas dores, trás um bom alívio.  

 

 Para os estados graves de depressão é importante deixar claro que é possível mudar o sentido das coisas, é possível diminuir o sofrimento, é possível transformar o estado de incapacidade e reestabelecer as energias.

 

"Mas é claro que o sol

 

vai voltar amanhã,

 

mais uma vez, eu sei. 

 

Escuridão já vi pior, 

 

de endoidecer gente sã.

 

Espera que o sol já vem... 

 

 

 

Se você quiser alguém em quem confiar, 

 

confie em si mesmo. 

 

Quem acredita sempre alcança.

 

 

 

 Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena

 

acreditar no sonho que se tem

 

ou que seus planos nunca vão dar certo 

 

ou que você nunca vai ser alguém. 

 

 

 

Quem acredita sempre alcança."

 

Mais uma vez - Renato Russo -  Állbum Renato Russo Presente

 

 

Caso você tenha interesse em ler sobre algum assunto relacionado à psicologia, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco e fazer sua solicitação.

 

     Para isto você pode nos mandar um e-mail

clinica@conhecereagir.com.br

Rua Itapeva, 518. Conjs 605/6. (11) 3262-4688

© 2015 by Conhecer e Agir

Conhecer e Agir Desenvolvimento Humano Clínica e Cursos S/S Ltda

Rua Itapeva, 518 - Bela Vista - São Paulo - (11) 3262-4688